• Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • +55 (91) 3241-9720

Igreja Episcopal Anglicana do Brasil Elege a Primeira Bispa para Câmara Episcopal

Em particular desde os tempos do Segundo Testamento, a Santa Igreja Católica de Cristo tem sido caracterizada por três Ordens distintas de Ministérios Ordenados: Episcopado, Presbiterado e Diaconato.[...] A Comunhão Anglicana, em diversas províncias, admite igualmente a ordenação de mulheres para estas três ordens sagradas. Tem sido e é intenção e propósito desta Igreja, manter e continuar estas três ordens [...] PREFAÇÃO DO ORDINAL DE SAGRAÇÃO DO LIVRO DE ORAÇÃO COMUM.

No dia 20 de janeiro de 2018 ficará marcado na história da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil como o Dia da Eleição da Primeira Bispa. O fato ocorreu na Segunda Sessão do Concílio da Diocese Anglicana da Amazônia (DAA) no qual elegeu no primeiro escrutínio a Reverenda Cônego Marinez R. Santos Bassotto. O processo de eleição na Igreja Episcopal ocorre com participação de delegações paroquiais do laicato e também do clero residente, possibilitando a escolha de pessoas cujo perfil venha agradar às pessoas que serão pastoreada pela bispa (o).

Carta de Agradecimento do Povo da Diocese Anglicana da Amazônia ao Bispo Dom Saulo e Família

No dia 15 de setembro de 2002, data em que estava sendo comemorado o “Dia de San Gennaro”, uma festa organizada pelos imigrantes italianos que fechavam com autorização da prefeitura de Belém e Igreja Anglicana, a avenida em frente à Catedral de Santa Maria, entre as avenidas Gentil Bittencourt e Conselheiro Furtado. Neste dia, chega a precursora do Bispo Saulo e família na Cidade de Belém do Pará, Miriam Barros, sua irmã que muito contribuiu apoiando o trabalho do casal na região. E no dia 16 de setembro, chegam a Belém, Revdo. Saulo Maurício de Barros, sua esposa Ruth Barros e filho, Thomas Barros. O Revdo. Saulo foi enviado pelo bispo Dom Glauco Soares de Lima, na época primaz da Igreja, para assumir o serviço pastoral na Amazônia.

Ele assumiu a paróquia de Santa Maria e logo se envolveu com o trabalho religioso e administrativo; organizou finanças; grupos de trabalhos e departamentos da igreja; realizou algumas edições do Curso Alpha, Encontro de Jovens com Cristo, e vários estudos sobre Anglicanismo. Posteriormente assumiu a função de Delegado Episcopal, com sua maneira pastoral de agir tornou as comunidades em uma igreja Unificada. Em 2006, foi criada a Diocese Anglicana da Amazônia no XXX Sínodo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, em Curitiba, por unanimidade foi eleito o primeiro bispo desta Diocese.

Sobre o Bispo Saulo: homem ético, simples e amigo; não almejava o Episcopado, o assumiu por querer servir com amor – inspirado pelo Espírito Santo – a conduzir a tão jovem Diocese Anglicana do Brasil na Amazônia. Suas qualidades são tantas, mas uma se destaca: sua simplicidade e seu jeito bem nordestino de ser amazônida, abraçando nossa cultura, no jeito de ser paraense sem deixar de ser pernambucano. Seu Episcopado foi marcado por muitas conquistas e alegrias, promovendo e apoiando as frentes de missão em Gurupá – PA (Missão de São Pedro Pescador) e Ulianópolis – PA (Missão Divino Salvador). É um homem de Deus – não deixando de ser uma pessoa com defeitos e limitações – porém, reconhecendo-se frágil soube ser capaz de pedir perdão por suas dificuldades na missão como Diácono, Presbítero e Epíscopo.

Como anglicano, desde sua opção em fazer a caminhada seminarística, contribuiu com a educação teológica: como reverendo e bispo. Atualmente, constituiu na IEAB a Educação à Distância reunindo educadores anglicanos de várias partes do Brasil para acompanhar os educandos/as envolvendo o Centro de Estudos Anglicanos – CEA das três áreas e facilitando por meio cibernético e interativo as diferentes disciplinas para melhor formar nossa gente. Pensa a Igreja como um espaço não apenas inclusivo, mas também diverso, porém sempre respeitando os que pensam contrariamente às inovações e perspectivas de uma Igreja que está em constante reforma: agindo, assim, com bom senso e com prudência, pois a Igreja não é uma ideologia, mas uma Comunhão de diversas opiniões e maneiras de viver a fé em Jesus Cristo.

Com sua mestria teológica e histórica da Igreja Anglicana, passou conhecimentos para leigos e clero, fortalecendo a base teórico-histórico da igreja e a leitura do evangelho à luz da razão. Recebeu o Brasão de Armas de Belém, em solenidade na Câmara Municipal. Ganhou título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Huron em London/Toronto, Canadá; e através dele a cidade receberá uma escultura denominada “Jesus Sem Teto”, presente do artista canadense Timothy Schmalz, que ficará em praça pública aos cuidados da Prefeitura. Seus títulos em parte é um reconhecimento de sua contribuição na Missão de Jesus Cristo, sua marca da Missão Episcopal será o seu jeito, íntegro, humano e ético a serviço da Igreja.

Sua esposa, Ruth Barros, intensificou os trabalhos sociais: música, bordado, bijuterias, conseguiu apoio para mudar equipamentos de som em todas as comunidades e doações para pequenas reformas na comunidade de São José das Pedras; nos últimos três anos tem recebido apoio da USPG e mais recente parceria com o SADD, pequenos valores com comunidades da Inglaterra e também de sua família, para o “Curso de Formação de Educadores Populares na Amazônia”. Sua afeição à obra religiosa é notória no grupo de música da Igreja, apesar de ter perdido um pulmão, sua dedicação no louvor da catedral é desenvolvida com fidelidade e amor. Obrigada querida Ruth por sua doação plena em todas as atividades da Diocese. Sentiremos muitíssimo a sua falta.

Dom Saulo, a Igreja da Diocese Anglicana da Amazônia lhe agradece por sua dedicação, por seu amor e por seu trabalho nesses mais de quinze anos no exercício do ministério ordenado como presbítero e como bispo em nossa região. Esta mesma Igreja lhe pede desculpas por não ter lhe ajudado como deveria e não ter abraçado com paixão o mesmo que lhe inspirou em amar e abraçar os projetos que nos fora apresentado. Essa mesma Igreja também lhe perdoa, pois reconhece seus dons e seu amor por Jesus Cristo, mas sabe também de suas limitações neste ministério. Sua história, porém, é marcada por muitas luzes, pois no decorrer de seus trabalhos a centralidade sempre foi o projeto de Jesus Cristo e não seus projetos pessoais. A marca de seu ministério na Igreja Anglicana da Amazônia é reconhecida por nós e também por outras comunidades cristãs do movimento ecumênico que nesses longos anos fizeram – e fazem! – parte de nossos encontros fraternos, partilhas e lutas.

E, ainda, lembrando as palavras do Apóstolo Paulo: “Portanto, ponde-vos de pé e cingi os rins com a verdade e revesti-vos da couraça da justiça e calçai os pés com o zelo para – continuar! – a propagar o Evangelho da paz, empunhando sempre o escudo da fé, com o qual podereis extinguir os dardos inflamados do maligno. E tomai o capacete da salvação e a espada do Espírito que é a Palavra de Deus” (Efésios 6:14-17); que seu “novo jeito de caminhar” seja seguindo os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Dom Saulo, Ruth e Thomas: Muito obrigado! Que Deus lhes abençoe e os acompanhe!

Advento do Senhor 2017, na Celebração do Natal Diocesano

Mensagem de despedida - Dom Saulo

Como é do conhecimento de todas as pessoas da Diocese Anglicana da Amazônia, eu solicitei minha resignação como bispo diocesano já faz algum tempo. Essa foi uma decisão difícil, mas pensada conjuntamente com a família, com muita oração e confiança de que Deus tem sempre uma novidade positiva reservada para aqueles que seguem seus caminhos.

Então, apesar do carinhoso convite para que ficássemos, já não sou o bispo diocesano desde o começo de dezembro. Ruth continua suas atividades normais até o final do mês. Thomas concluiu o ensino médio e está pronto para trilhar novos caminhos.

A Escritura insiste na necessidade de renovação das lideranças do povo de Deus. A narrativa do Êxodo é um bom exemplo disso. A imagem dos hebreus vagando pelo deserto durante 40 anos tem a ver simbolicamente com a mudança de mentalidade do povo e a consolidação de novas lideranças para ocupar a terra onde “mana leite e mel” (Deuteronômio 26:9). É preciso mudar para que o povo de Deus siga em frente…

Nunca pensei meu episcopado na região como algo para toda vida, como um monarca a ocupar um trono, mas como serviço e obediência ao chamado de Deus. Tenho sempre em mente as palavras do profeta Amós para Amazias: Eu não sou profeta, nem discípulo de profeta, mas boieiro e colhedor de sicômoros. Mas o Senhor me tirou de após o gado e o SENHOR me disse: Vai e profetiza ao meu povo de Israel” (Amós 7:14-15).

Agradeço a Deus pelo privilégio e pelos desafios do episcopado na Amazônia. Tenho apenas a certeza de que, apesar de ter tentado com todas as minhas forças, meu ministério não correspondeu aquilo que deveria ser. Afinal, como nos ensina os evangelhos, mesmo quando fizermos tudo que nos foi ordenado devemos ter a consciência de que “somos servos inúteis e apenas cumprimos o nosso dever” (Lucas 17:10).

O mais importante destes quinze anos, sempre ressalto isso, foi a convivência com as pessoas aqui na região. Gente que agora é parte da nossa família estendida. Sem dúvida, um grande presente de Deus. Levaremos vocês sempre conosco, nossa bagagem agora é maior! Tanto pessoas das comunidades anglicanas, quanto parceiros do ecumenismo, do movimento inter-religioso e colaboradores com as quais tivemos uma gostosa convivência.

O Bispo Primaz, Dom Francisco de Assis Silva, será o pastor da diocese, e o Revdo. Deão Cláudio Miranda, como presidente do Conselho Diocesano, será o administrador diocesano, até a escolha do próximo bispo ou bispa. Como nos ensina São Paulo: Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento” (1 Coríntios 3:6-7).

Que a Diocese Anglicana da Amazônia possa crescer no conhecimento do Nosso Senhor Jesus Cristo e em número de pessoas comprometidas com a construção de um mundo mais fraterno.

Em meu nome e em nome da minha família, muito obrigado por tudo!

+Saulo Barros

Extraordinary Diocesan Synod: Listening to the Divine Word

On the morning of October 21st, 2017, at the Cathedral of St. Mary, Belém do Pará, the Extraordinary Diocesan synod was held. Clerical and lay delegates met to carry out the election of the coadjutor Bishop of the diocese.

 

The Synod was presided by Bishop Maurício Araújo de Andrade, Bishop of the Anglican Diocese of Brasília, by invitation of the diocesan Bishop Saulo Maurício de Barros, according to the General Canons of the Episcopal Anglican Church of Brazil.

 

During the Eucharistic service presided by the diocesan bishop, Bishop Maurício shared a reflection on the Gospel of Marcos 4:26-32, in which he pointed out that each one of us is called to contribute with our different gifts to the Church, in the same way that there are different kinds of seeds. After the service the president installed the assembly and nominated the committees responsible for the organization of the take during Synod.

 

The two bishops made a point of remarking on the excellence of the work carried out by the Election Committee, created in the Diocesan Synod, underling its pedagogical role for all the Anglican people of the Amazon. Also, through a letter to the Synod, the Primate Bishop of the Anglican Church in Brazil, Francisco de Assis congratulated the diocese: “for the transparency of the process of discernment”. He also pointed out that “this is an experience that can help other dioceses in the future.”

 

It is also important to mention the support and prayers from all the bishops of the IEAB and the solidarity of the clergy and laity in Brazil and in the companion diocese of Huron, Canada for this unprecedented moment in the IEAB, as Bishop Saulo pointed out: “this is the first extraordinary synod after the change in the canons which took place in 2016 authorizing all the dioceses, even those which, in the past, has a missionary status, to elect their bishop directly in an extraordinary synod”

 

With regard to the process, Bishop Saulo explained that the vote is secret and it is carried out in the two orders (clergy and lay). “The candidate should receive an absolute majority in both orders, which would then characterize his/her approval of all the people of God”, he said.

 

So, the first three ballots took place, in which neither of the two candidates, the Revd. Marinez Bassoto and the Revd. Silvio de Freitas, had majority votes in the two orders, where Revd. Marinez had the majority among the laity and Revd. Sílvio among the clergy. The assembly approved the proposal of a recess of thirty minutes during which the two orders could discuss individually before the next ballot.

 

In the fourth ballot the tendency was repeated, with no alteration. So the assembly approved the suspension of the Extraordinary Synod.

Clergy delegates spoke about the possibility of the present Bishop remaining for a while longer at the head of the Diocese. This proposal was immediately approved by some representatives of the laity. Bishop Saulo affirmed that, with this request, he is prepared to discuss the matter with his Family, with the Chamber of Bishops and with the people of the diocese in a future Assembly of the people of God, in order extend his stay as episcopal leader of the Anglican Diocese of the Amazon.

 

[+] Click to report of the Election Committee in Portuguese

[+] Clique para visualizar as fotos do Concílio Extraordinário da Diocese Anglicana da Amazônia.

Concílio Extraordinário: Escuta da Palavra Divina

Na manhã dia 21 de outubro de 2017, no templo da Catedral de Santa Maria, em Belém do Pará, aconteceu o Concílio Extraordinário da Diocese Anglicana da Amazônia. Os delegados clericais e laicos estiveram reunidos com a finalidade de realizar a eleição do bispo coadjutor ou bispa coadjutora da diocese.

O Concílio foi presidido por Dom Maurício Araújo de Andrade, bispo da Diocese Anglicana de Brasília, convidado pelo bispo diocesano Dom Saulo Maurício de Barros, conforme faculta os Cânones Gerais da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil.

Durante a celebração eucarística presidida pelo bispo diocesano, Dom Maurício fez uma reflexão baseada no evangelho de Marcos 4:26-32, onde ressaltou que cada um de nós é chamado para contribuir com suas potencialidades para a Igreja, assim como existem diferentes tipos de sementes. Em seguida, o presidente instalou a assembleia e nomeou as comissões encarregadas do andamento das tarefas conciliares.

Os dois bispos fizeram questão de destacar a excelência do trabalho executado pelo GT-Eleição, criado pelo Concilio Ordinário, destacando o seu papel pedagógico para todo o povo anglicano da Amazônia. Também através de uma mensagem ao Concílio o bispo Primaz da Igreja Anglicana, Dom Francisco de Assis que parabenizou a diocese: “pela transparência do processo de discernimento”. Ainda destacou que “esta é uma experiência que servirá para as outras dioceses no futuro”.

Sendo importante ainda destacar o apoio e as orações de todos os bispos da IEAB e a solidariedade de clérigos e leigos do Brasil e da diocese companheira de Huron Canadá, para esse momento inédito na IEAB. como ressaltou Dom Saulo: “este é o primeiro concílio extraordinário após a mudança canônica que aconteceu em 2016 que autoriza todas as dioceses, mesmo aquelas que no passado tinham o status de missionária, a eleger diretamente seus bispos em concílio extraordinário”.

Quanto ao processo, o bispo Saulo explicou que a votação é secreta e ocorre em duas ordens (clérigos e leigos). “A pessoa candidata precisa receber maioria absoluta nas duas ordens, caracterizando assim sua aprovação por todo o povo de Deus”, informou.

Foram, então, realizados primeiramente três escrutínios, nos quais nenhuma das pessoas candidatas, Revda. Marinez Bassoto e Revdo. Silvio de Freitas, conseguiram maioria nas duas ordens. Tendo a Revda. Marinez alcançado maioria no laicato e Revdo. Sílvio entre o clero. A assembleia aprovou proposta de um recesso de trinta minutos no qual as ordens pusessem conversar antes da realização de uma nova votação.

No quarto escrutínio a tendência voltou a se repetir sem nenhuma alteração. A assembleia provou, então, a suspensão do Concílio Extraordinário.
Delegados clericais se manifestaram sobre a possibilidade do atual bispo permanecer mais tempo a frente da diocese. Essa proposta contou imediatamente com a adesão de alguns representantes do laicato. Dom Saulo afirmou que, diante do apelo, se coloca disponível para conversar com a família, com a Câmara Episcopal e com o povo da diocese - em futura Assembleia do Povo de Deus, objetivando prorrogar sua permanência como liderança episcopal da DAA.

[+] Click to english version: "Extraordinary Diocesan Synod: Listening to the Divine Word";

[+] Clique para baixa o Relatório do GT – Eleição em português (pdf);

[+] Clique para visualizar as fotos do Concílio Extraordinário da Diocese Anglicana da Amazônia.

 

Passos Finais do Processo de Eleição Episcopal

Passos Finais do Processo de Eleição Episcopal

Sob a orientação do Bispo Saulo Barros, nosso bispo Diocesano, delegadas e delegados do Concílio Extraordinário estiveram reunidos no sábado dia 07/10, para orar e meditar sobre nosso testemunho cristão. Este encontro fez parte da programação do GT de Eleição Episcopal que trabalhou desde abril deste ano para realizar uma eleição sem traumas e injustiças dentro da compreensão do ser cristão. Como disse um reverendo da DAA: “Não vamos escolher ninguém por ser homem ou mulher, por ser do Norte ou do Sul, mas por vontade Divina”. Estamos acreditando nesta Ação do Espírito!

Dom Saulo, levou-nos ao questionamento sobre o nosso papel como testemunhas do Reino, as características deste testemunho e como podemos aperfeiçoá-lo. Perguntas que devemos manter em nossa caminhada de fé.

Estamos vivenciando este momento histórico na Diocese Anglicana da Amazônia, agradecidas ao Eterno pela condução do processo que termina no próximo sábado dia 21/10, esperamos que clero e laicato sejam iluminados pelo Espírito Santo de Deus. Que nossa vontade seja a Dele. Invocamos sua divina presença.

Pedimos sua mão protetora e acalentadora sobre a vida dos nossos candidatos, Revda. Marinez Bassoto e Revdo. Silvio Freitas que aceitaram com muita seriedade, humildade e, creio, amor pela Igreja, este compromisso com nossa Diocese.

“Que nossa vida seja louvor do Senhor!”

Joseane Paula.
Secretária da Igreja- DAA